• Fernando Fontana

Super-Heróis da Vida Real

"O mundo é um lugar perigoso, não devido aos que fazem o mal, mas devido aqueles que olham e não fazem nada"


Em um beco escuro uma mulher está sendo violentamente espancada, desesperada, ela grita por socorro, mas não há policiais por perto e o agressor parece disposto a matá-la.


Para sua sorte, Mr. Xtreme e seu parceiro, estão em patrulha na região, ouvem seus gritos e atendem seu chamado, afastando e encurralando o criminoso até que um carro de polícia tivesse tempo de chegar ao local.


A mulher foi salva e o agressor condenado à 34 anos de prisão.


Não, esta não é uma cena de uma história em quadrinhos ou de um filme de super-heróis, isso realmente aconteceu nas ruas de San Diego, e Mr. Xtreme é apenas uma das inúmeras pessoas que fazem parte de um fenômeno social crescente, onde pessoas comuns se vestem como super-heróis criados por elas mesmas, e saem para as ruas, dispostas a enfrentar o crime e/ou ajudas os mais necessitados.


Este fenômeno é o tema do documentário "Super-Heróis", produzido e exibido pela HBO, onde podemos ver o dia a dia dessas pessoas, seus depoimentos, suas motivações e o que já fizeram ou pretendem fazer para ajudar a sociedade.

Espera um pouco, pessoas comuns, sem poderes, saindo para combater o crime, isso não é perigoso?


Bom, com a palavra, o mestre Stan Lee:


"Super-heróis vêm em vários tamanhos, formas e tipos, mas eu me preocuparia com alguém sem superpoderes, e que vista uma fantasia e enfrente criminosos, pessoas que podem estar armadas. Essa pessoa pode se machucar."


As pessoas costumam dizer que, ao contrário do Superman, o Homem Morcego não possui poderes. Um erro comum, porque o Batman possui o maior de todos os superpoderes, ele conta com o roteirista, para mante-lo à salvo.


Vamos encarar os fatos, na vida real, Bruce Wayne já estaria morto há muito tempo.


Com o crescimento do número de vigilantes, a polícia norte-americana se viu obrigada a lidar com eles, e a tenente Andra Brown, do Departamento de San Diego, resume de uma maneira polida, a opinião geral:


"Quando um cidadão comum tenta aplicar as leis pelas próprias mãos, eles podem agir por razões nobres, mas porque são apaixonados por alguma coisa, talvez eles não usem um julgamento adequado ou bom senso."

Muitos saem desarmados para patrulhar as ruas, outros levam um cassetete, um spray de pimenta ou uma arma de choque, mas estes itens não ajudam muito contra uma pistola automática manuseada por alguém experiente, então, sim, eles estão correndo risco de vida.


O documentário poderia adotar o caminho simplista de tratar todos os vigilantes como malucos, o que parece mesmo ser o caso de alguns, como Master Legend, que diz possuir força e agilidade sobre-humanas e a capacidade de prever o futuro, mas seus idealizadores também abordam outro ponto de vista, que é o desejo da maioria deles, de fazer algo pela sociedade, que se mostra cada vez mais apática.


Você se lembra do caso que motivou Walter Kovacs, o Rorschach da série Watchmen, a vestir a máscara e combater o crime pela primeira vez?

Em março de 1964, Kitty Genovese, uma mulher de 29 anos, foi assaltada, estuprada e morta diante de 38 testemunhas, que assistiram o crime das janelas de um prédio próximo, sem nada fazer para ajudá-la.


Alan Moore não inventou este crime brutal, ele realmente aconteceu e chocou o país.


Zimmer, um dos vigilantes retratados, cita o assassinato de Kitty Genovese como motivação para sua primeira patrulha na cidade de Nova York, sentimento compartilhado por muitos dos seus companheiros.


Outros heróis fantasiados levam comida, bebida e itens de higiene para moradores de rua, fato que ocorre ironicamente a poucos quilômetros de onde ocorre a Comic Con San Diego, maior feira de quadrinhos e cultura Geek do mundo.


O próprio Mr. Xtreme, relatado no começo desse artigo, além de patrulhar a região onde mulheres foram estupradas por um maníaco, se encarregou de imprimir e espalhar cartazes com o retrato falado do criminoso, para auxiliar em seu reconhecimento e captura.


Para quem estiver disposto a tentar compreender a mente desses homens e mulheres, o documentário possui pouco mais de 80 minutos e está disponível na HBO-GO.

5 visualizações

Facebook

  • Facebook Social Icon

© 2019 por FERNANDO FONTANA Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now