• Fernando Fontana

Visão - Pouco Pior que um Homem

Roteiro de Tom King e Ilustrações de Gabriel Hernandez Walta

Criado por Ultron, o Visão é um Sintozoide, um androide moldado com sangue e órgãos humanos, capaz de se tornar intangível ou extremamente denso e pesado.


Para melhorar o sistema de processamento, ele tomou a decisão de apagar as emoções associadas às suas memórias, para então, partir em busca da normalidade.


O que poderia ser mais normal do que construir uma família? E foi exatamente isso que ele fez, com o auxílio da tecnologia de Tony Stark, construiu uma esposa, dois filhos adolescentes e mudou-se para uma casa próxima de Washington, onde trabalha como representante dos Vingadores na Casa Branca.


A arte colorida de Walta, as roupas, os sorrisos, tudo parece perfeito, mas se você assistiu o filme Beleza Americana, sabe que é melhor olhar mais de perto.


A família do Visão quer ser aceita, e uma vez que o androide, como ele mesmo diz nas páginas da HQ, já salvou o mundo 37 vezes, parece lógico acreditar que os seres humanos não só irão aceitá-los de braços abertos, como estarão profundamente agradecidos por estarem vivos.


Lógica nunca foi o forte da humanidade.

O roteiro de King trabalha a questão do que é ser humano, afinal, androides pensam e sentem, logo, o que os diferencia de nós?


Eis um trecho do Mercador de Veneza, de Shakespeare, que o professor de literatura cita na aula, enquanto Vin, o filho do Visão, ouve com expressão assustada:


"Será que um judeu não tem olhos? Um judeu não tem mãos, órgãos, dimensões, sentidos, afetos, paixões? Não é alimentado com a mesma comida, ferido com as mesmas armas, sujeito às mesmas doenças, curado pelos mesmos meios, aquecido e arrefecido pelo inverno e verão, como um cristão? Se nos picarem, não sangramos? Se nos fazem cócegas, não rimos? Se nos envenenam, não morremos?"


Seres-humanos são conhecidos por tratarem seus semelhantes como menos do que humanos, dependendo de sua etnia, religião ou sexualidade. O preconceito e o medo que as pessoas possuem daquilo que não são capazes de compreender também está presente nesta HQ.

"Eles nos odeiam - disse Vin ao seu pai - vão sempre nos odiar"


"Não faz sentido - respondeu o Visão - não se pode odiar o que não se conhece. Eles não conhecem vocês, logo são incapazes de odiá-los. Talvez eu aceite que eles odeiem a ideia que tem de vocês, mas se isso for verdade, então sua tarefa é simples. Devem apenas mostrar que vocês não são aquela ideia"


Foi impossível ler esta HQ sem sentir uma profunda tristeza pelo drama do Visão e sua família.


Ser intangível pode protege-los de tiros e golpes, mas não da crueldade e injustiça presentes em nossa sociedade.


As 12 edições da série foram publicadas em 2016 nos Estados Unidos, e aqui no Brasil saiu em dois volumes de 140 páginas pela Panini Comics. Uma história que foge do convencional e proporciona uma leitura que nos faz refletir sobre nossa própria condição.


Cativante, você provavelmente terminará de ler o primeiro volume e já irá querer ler o segundo.


Dinheiro e tempo muito bem gastos.

------------------------------------------------

Fernando Fontana escreve neste blog tudo aquilo que lhe vem na cabeça, mesmo que não seja lá grande coisa.


Assim que for a falência publicando seus livros e frequentando eventos, pretende se tornar um comediante de Stand Up Comedy ou um Youtuber, provavelmente quando estas profissões estiverem em franca decadência.


Caso queira conhecer um pouco mais do seu trabalho, ele também escreve a coluna "No Século Passado" para o canal Metalinguagem: https://canalmetalinguagem.com.br

24 visualizações

Facebook

  • Facebook Social Icon

© 2019 por FERNANDO FONTANA Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now